Prevenção ao suicídio é tema do Setembro Amarelo

prevencao-ao-suicidio-e-tema-do-setembro-amarelo

Existem assunto que ainda são um tabu em nossa sociedade, mas justamente falar sobre eles ajuda a evitar que ocorram. É o caso do suicídio. A campanha Setembro Amarelo vem lembrar, anualmente, sobre a importância dos cuidados em relação à saúde mental e como pode-se prevenir. Diversas ações de conscientização são realizadas por instituições, ONGs e o próprio governo federal.

“Por quê pensar nisso? Porque segundo a OMS, 800 mil pessoas morrem no mundo, por ano, por esta causa – o suicídio. Na verdade, o número de pessoas afetadas é muito maior, ou seja, com a morte de alguém por suicídio, um sistema todo é afetado, famílias, empresas, colegas de trabalho, recursos familiares, entre outros, vivenciam o dano causado por este ato; sem contar a substancial quantidade de tentativas mal sucedidas, que certamente superam o número oficial de pessoas que foram de fato a óbito devido suicídio”, explica o psicólogo Rafael Sebben, do Centro Médico São Camilo.

De acordo com a Agência Brasil, o ministro Luiz Henrique Mandetta quer dar o foco às ações desenvolvidas para o público jovem. Entre este público tem aumentado o número de casos e de tentativas de suicídio. 

“Vamos focar nesta questão dos jovens, tanto na questão do suicídio quanto das tentativas, procurando alternativas de políticas públicas indutórias”, disse o ministro.

Algumas situações de sofrimento podem ser silenciosas e o ato de tirar a própria vida pode parecer, em meio a todo sofrimento, a única solução. Porém, geralmente a pessoa só não quer mais viver uma certa situação que, com auxílio, pode ser superada. 

É preciso ajudar àqueles que sofrem ou, para quem sofre, genuinamente buscar ajuda de profissionais como, por exemplo, psicólogos. Estes profissionais estão disponíveis também no SUS. Mas por que a cor amarela representa esse mês? E como foi criada a campanha?

Como tudo começou

A campanha foi iniciada em 2015 no Brasil e é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV) juntamente com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). 

Sendo 10 de setembro o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, foi escolhido, através da International Association for Suicide Prevention, o mesmo mês para a realização da campanha. O principal intuito é desmistificar essa atitude, trazer conhecimento e também alertar à população sobre a importância de tratar sobre o suicídio abertamente, ajudando a evitar novos casos. Afinal, o suicídio é considerado um problema de saúde pública.

Por que amarelo?

A cor foi escolhida devido a história de um jovem americano de 17 anos. Mike Emme possuía um carro Mustange 68 amarelo e tirou a própria vida utilizando este carro. Em seu funeral, seus familiares distribuíram fitas amarelas e mensagens de apoio para pessoas que estivessem passando pelo mesmo desespero que seu filho. Os pais Dale e Darlene Emme iniciaram então uma campanha de prevenção ao suicídio chamada “yellow ribbon”, ou “fita amarela” em inglês.

Conheça os sinais

De acordo com o Ministério da Saúde, existem alguns sinais que podem ser reconhecidos e tomados como um alerta a tempo de poder ajudar.

“O suicídio é um fenômeno complexo, multifacetado e de múltiplas determinações, que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Mas o suicídio pode ser prevenido!”, explica o MIN.

Confira abaixo alguns sinais que podem indicar a intenção de suicídio:

 

  • O aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas

 

Essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças nem como chantagens emocionais, mas sim como avisos de alerta para um risco real.

 

  • Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança

 

As pessoas sob risco de suicídio costumam falar sobre morte e suicídio mais do que o comum, confessam se sentir sem esperanças, culpadas, com falta de autoestima e têm visão negativa de sua vida e futuro. Essas ideias podem estar expressas de forma escrita, verbal ou por meio de desenhos

 

  • Expressão de ideias ou de intenções suicidas

 

Fiquem atentos para os comentários abaixo. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes são ignorados: 

“Vou desaparecer.”

“Vou deixar vocês em paz.”

“Eu queria poder dormir e nunca mais acordar.”

“É inútil tentar fazer algo para mudar, eu só quero me matar.”

 

  • Isolamento

 

As pessoas com pensamentos suicidas podem se isolar, não atendendo a telefonemas, interagindo menos nas redes sociais, ficando em casa ou fechadas em seus quartos, reduzindo ou cancelando todas as atividades sociais, principalmente aquelas que costumavam e gostavam de fazer.

Veja a seguir um vídeo do Ministério da Saúde que explica como realizar a prevenção ao suicídio: 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *